Pequeno Laboratório

cartaz Pequeno Laboratorio 2016

Pequeno Laboratório : Colocando a mão na massa

Em 2016, o Pequeno Laboratório do CAPACETE volta a funcionar para crianças de 3 a 12 anos. 
Gostaríamos de construir juntos um espaço especial para as crianças, os pais e nós onde trocaremos saberes em um ambiente em que todos podem aprender uns com os outros compartilhando suas habilidades! Oferecemos um espaço de livre brincar, experimentar, ver, falar, sentir, pesquisar, manipular e agir, criado a partir da convivência legítima com o outro! 

Na nossa vivência estarão presentes: música, línguas estrangeiras, visitas à ateliês, bicicleta, plantas, yoga, comida saudável e mais! Junte-se a nós para descobrir os novos experimentos do Pequeno Laboratório!
Toda quarta-feira de manhã 09 às 12h ou de 13 às 16h no CAPACETE, Rio de Janeiro
Preço: 220 reais por mês (com almoço incluído)
Começaremos logo depois do carnaval, dia 17/02
Informações: capacete@capacete.org
Visite nosso blog: https://capacetepequenolaboratorio.wordpress.com/

Mais informações

Pequeno Laboratório nasceu da constatação de que poucas atividades manuais e artísticas são oferecidas no Rio de Janeiro para crianças fora dos horários das escolas, e que, quando existem, são muito caras.
Além disso, na Rua Benjamin Constant, onde a residência CAPACETE está localizada, não há infraestrutura que permita as crianças a terem um lugar para praticar atividades de lazer perto de casa. Pequeno Laboratório pretende permitir que crianças tenham acesso a trabalhos criativos e educação artística proposta por profissionais da arte por um custo razoável, em ordem a ter uma abertura à outras formas de aprendizado; outros espaços sociais e criativos no dia-a-dia.

As interlocutoras das crianças:

Adeline Lépine (1984, Lyon, França)

Adeline Lépine cria situações, momentos específicos e espaços que permitam a reunião entre alguns alteridades (uma obra de arte, uma instituição, um artista, um  » público « , etc) para desencadear novas formas de convivência, pensamento coletivo, diálogo, ação e capacitação por focalizando os links que podem ser forjadas entre a criação e a vida cotidiana. Após estudar História da Arte e trabalhar com crianças em centros sociais, ela trabalhou em vários Centros de Arte e Museus na França como responsável pela parte educativa, programas culturais e eventos. Dês de 2002, ela faz parte da Mediation Culturelle Association, uma rede francesa de profissionais que estão interessados em programar para audiências de instituições da arte e cultura. Ela também é membro-fundadora do coletivo Máquina de Aprender Performance, um projeto artístico e interdisciplinar relacionado à ‘performance art’, iniciado em 2012. Adeline Lépine foi residente do Capacete em 2015 e é a fundadora associada com Caroline Valansi do Pequeno Laboratório.

Camilla Rocha Campos (1985, Barbacena, Brasil)

Artista, produtora, professora e pesquisadora, Camilla Rocha Campos transita num campo de uma arte colaborativa que acontece com a contribuição de pessoas em contextos carregados por ela de um tipo de humor e crítica. Nesse campo relacional, proposto por ela, se engendram experiências da arte contemporânea em produções artísticas, projetos em escolas e universidades e criação de contextos culturais envolvendo um público diversificado em jogos e viagens. Camilla é Mestre em História e Crítica de Arte pelo Instituto de Arte da UERJ (2011) e graduada em Gravura pela Escola de Belas Artes da UFRJ (2007). Professora da Universidade Cândido Mendes desde 2010, Camilla foi professora contratada da UERJ (2014) e UFF (2013). Trabalhou como pesquisadora e escritora auxiliar no projeto Radix-arte da autora Beá Meira para a Editora Scipione, elaborando materiais paradidáticos do ensino médio e fundamental (2008-2015). Em projetos autônomos e autorais como Workshop em curso, Camilla propõe um circuito de visitas em grupo a museus, centro culturais e bienais, dentro e fora do país, fomentando e mediando discussões in-loco enquanto experiências ali são vividas. Em 2016 é residente do programa Capacete.e

Helmut Batista, diretor do Capacete!

//

Fundadora associada

Caroline Valansi (1979, Rio de Janeiro, Brasil )

Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Graduada em Cinema, com pós­graduação em Arte e Filosofia. Sua produção artística caminha entre o espaço coletivo e as histórias íntimas, trabalhando num fluxo transtemporal onde são borradas as fronteiras entre documento e ficção. Esta residente do CAPACETE neste ano.
Exposição individual: Memórias Inventadas em Costuras Simples, no CCJE – Centro Cultural Justiça Eleitoral, RJ, 2009. Exposiçoes collectivas: Parque Lage. Encruzilhada. Rio de Janeiro, 2015 ; El Parqueadero. Sin Querer Saberlo a cargo de Laagencia, dentro do Ciclo de videos Tutoriales. Bogotá, Colombia, 2015 ; Museu Nacional Honestino Guimarães, Situações Brasília – Prêmio de Arte Contemporânea do Distrito Federal. Brasília, 2014 ; etc. Integrou o coletivo OPAVIVARÁ! [www.opavivara.com.br] (2007­2014) e é professora de fotografia e arte para alunos do ensino fundamental e médio. Rio de Janeiro.